domingo, 11 de abril de 2010

PESQUISA MINERAL/PROCEDIMENTOS GEOLÓGICOS (9)

PERFIS TOPOGRÁFICO-GEOLÓGICOS (roteiro de construção)


Dentro dos procedimentos de pesquisa geológica a descrição e análise macroscópica, dos afloramentos em estudo, devem ser fundamentadas de acordo com um padrão específico que pode ser seguido a rigor, sim ou não. Veja como pode ser elaborado o perfil:

1º - SELEÇÃO DA DIREÇÃO DO PERFIL:
o geólogo deve observar e optar pela direção perpendicular do perfil com relação às camadas ou as estruturas em estudo; representatividade das unidades geológicas e sua inter-relação estrutural; corte pelos corpos de minério ou feições geológicas em estudo e que se quer representar no perfil.

2º - MARCAÇÃO DOS PONTOS EXTREMOS:
marcação no mapa geológico identificando-os (por exemplo, A-B, C-C, etc.). Vale ressaltar que um mesmo perfil geológico, de acordo com as conveniências, pode incorporar vários segmentos de reta em mapa desde que façam pequenos ângulos entre si. A linha que une os pontos extremos de cada segmento de reta pode ser traçada a lápis.

3º - VERIFICAÇÃO DE COTAS:
Verificar ao longo da linha quais as cotas máximas e mínimas.

4º - EXAGERO VERTICAL:
Selecionar exagero vertical e marcar em papel milimetrado os pontos limites da seção ou corte geológico e a escala vertical ou altimétrica com os valores das cotas máximas e mínimas bem como dos intervalos de curvas de nível de ambos os lados do perfil ou corte.

5º - TRANSPOSIÇÃO PONTOS DE INTERSEÇÃO DAS CURVAS DE NÍVEL:
Transpor do mapa pontos de interseção das diversas curvas de nível com a reta que indica a seção geológica no mapa para papel milimetrado marcando estes pontos na escala vertical de acordo com sua altitude.

6º - DESENHO DA SUPERFICIE:
Desenhar a superfície topográfica unindo os pontos sucessivos marcados, conforme 5º, de forma a mostrar um modelado mais próximo possível da realidade topográfica; para tanto evitar os traços retilíneos.

7º - IDENTIFICAR CONTATOS GEOLÓGICOS:
Marcar no papel milimetrado contatos geológicos, tais como falhas, fraturas, etc., transpondo-os para a superfície topográfica modelada.


8º - CALCULO DE MERGULHO:
Calcular mergulhos segundo a linha do perfil (mergulho aparente);

9º - CALCULO DE ÂNGULO:
Calcular ângulo de acordo com o exagêro vertical (correção de exagêro vertical sobre o mergulho aparente ao longo do perfil para cada mergulho de camada ou de falha) marcar, para cada ponto, o mergulho encontrado como um pequeno segmento de reta a partir da superfície topográfica.

10º - UNIÃO DE LINHAS:
Unir as linhas de mesmo contato de acordo com as interpretações estruturais indicadas em mapa como sinclinais, anticlinais, etc., nas profundidades calculadas (abaixo) ou mais prováveis de acordo com a sua interpretação.

11º - ELEMENTOS QUE DEVEM CONSTAR NO PERFIL GEOLÓGICO:
título ou identificação; orientação; escalas H e V gráficas; escala H numérica e exagero vertical; letras de identificação dos limites (marcadas, também, no mapa); legenda com simbologia das unidades geológicas (se o perfil está no mesmo documento que o mapa geológico, utilize as mesmas convenções no que couber); identificação dos principais elementos geográficos interceptados pelo perfil; data; responsabilidade (autoria); e o perfil topográfico-geológico propriamente dito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário